Artigo: Andrea Marques de Almeida – Diretora de Finanças e Relações com Investidores da Petrobras

Andrea Marques de Almeida – Diretora de Finanças e Relações com Investidores da Petrobras

As conquistas na vida pressupõem, em primeiro lugar, a coragem de fazer escolhas difíceis. Após 25 anos de uma carreira consolidada em uma das maiores companhias brasileiras, a Vale, Andrea Marques de Almeida aceitou o desafio de ingressar na maior empresa estatal brasileira com a reputação já desgastada por escândalos de corrupção: a Petrobras.

Em visita à Forbes, em São Paulo, a executiva, que vive no Rio de Janeiro, contou sua história. Logo no início da conversa, é possível ver por que a engenheira de produção formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, filha de portugueses donos de uma lavanderia, foi tão longe. Sua principal estratégia é a valorização da equipe. “Tudo que você vai fazer na vida, se quiser que dê certo, tem que buscar as pessoas para fazer parte dessa construção.”

Andrea começou na Vale como estagiária e, só depois de dez anos, conquistou um cargo de gerência. Mesmo com as demandas da empresa e da criação do filho único, ela buscou sólida capacitação com um MBA em finanças no Ibmec-RJ e especializações em Gestão pela Universidade de São Paulo, Wharton School of Finance e Sloan School of Management do MIT. Na mineradora, a executiva assumiu postos-chave nas áreas de finanças corporativas, tesouraria global e gerenciamento de risco.

No início de 2019, convidada pelo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, Andrea deixava a Vale logo após a tragédia do rompimento da barragem em Brumadinho (MG) e ingressava na estatal para uma outra gestão de crise: o resgate da confiança de investidores após o esquema de corrupção descoberto pela Operação Lava Jato – e um rombo estimado pela própria companhia de R$ 6,2 bilhões. “Foi uma decisão muito difícil. Eu estava acompanhando o futuro que estava se construindo para a Petrobras e pensei que poderia ajudar mais do que na Vale.”

O balanço do terceiro trimestre de 2019 mostrou que as mudanças na Petrobras vinham surtindo efeito. A companhia registrou um lucro líquido de R$ 9,087 bilhões, 36,8% maior que no mesmo período de 2018. Na apresentação dos resultados, Andrea inovou ao gravar vídeos em português e inglês. “A gente precisa dizer aquilo que acredita de fato que vai entregar e isso era uma deficiência muito grande da empresa no passado.”

As conquistas levaram Andrea a ser a única brasileira entre as 100 mulheres mais poderosas do mundo eleitas pela Forbes USA, em 2019, ocupando a 77ª posição. A revista “Fortune” também elegeu a executiva como uma das 50 mulheres mais poderosas do mundo. “Quando você traz ideias e as pessoas querem fazer, você constrói um poder que ninguém te segura. A conquista não é minha. A conquista é nossa.” (LM)

Matéria original na Forbes
Link: Forbes
Autor: Angélica Mari, Gabriela Arbex, Kátia Mello, Luciene Miranda, Mariana Weber e Rebeca Silva
Foto: Forbes